território livre  |  2020

 ESCUTAR A ESCRITA

 

 Um modo de adentrar a existência de um ser que nunca existiu

 

Bartleby, O Escrivão

 

 Escrito em 1856, essa pequena novela de Herman Melville abre para uma gama de interpretações e desperta uma profusão de sensações nos leitores que torna muito difícil defini-lo em um só tema: a recusa a uma vida burocrática de obediência cega, a sensação de solidão e a inutilidade de qualquer reação dentro um mundo hostil, a solidão

de quem se recusa a participar de um jogo de relações cruéis provocando a degeneração visível, a morte

em vida de um ser humano que optou pelo auto-isolamento. 
Será que nesse momento, Bartleby não nos leva a pensar que sempre vivemos em quarenta?

 

 

Ana Paula Bouzas

Atriz e diretora

website

Rio de Janeiro