território livre  |  2020

Logo P.png

Pandemia, quarentena, confinamento...

Tempo para refletir e aprender a lidar de um outro modo com os limites.

Subvertê-los e incorporá-los. Façamos desse espaço

uma experiência máxima para isso. Juntos!

 

 

 

MENINO 23

Belisario Franca

Rio de Janeiro

 

Seu Aluizio foi um dos 50 meninos órfãos e negros

que foram retirados em 1933,

do Orfanato Romão Duarte...

Fire 2 copy.png

 

SOBREVIVENDO NO INFERNO

Bettine Silveira

Rio de Janeiro

Sobrevivendo no Inferno é a construção semiótica mais bem acabada para esses tempos que estamos vivendo.

 

 

Fire 1.png

NO BOX COM A LAERTE - 2

Laerte

São Paulo

Ed 5 LAERTE SÉRIE BOX Picapau.jpg
Fire 4.png

 

SOU CANDIDATO A MINISTRO DA CULTURA 

Rodrigo Salomão

Rio de Janeiro

Brother, o Brasil é isso!O encontro com os amigos, a praia, o esporte. Essa é nossa cultura...

Fire 3 copy.png

O TEMPO NÃO TEM MAIS

HORA MARCADA

Álvaro Pereira do Nascimento

Rio de Janeiro

Mais uma noite na merda.

O sono foge dos pesadelos,

E me acorda!

Fire 4.png
Fire 3.png
Fire 3 copy.png

CIDADE DOS PÉS JUNTOS

Gil Rodrigues

Rio de Janeiro

ED 6 - GIL 2020-07-10 at 00.37.56.jpeg

Localizada bem ao lado do quinto dos infernos,

o culto inaugural foi celebrado pelo

Igreja Universal do Reino dos Diabos...

Fire 1.png

A GUERRA

Roberta Nader

São Paulo

Ed 6 Roberta Nader -Guerra - Beatriz Aurora.jpeg

A América Latina está em Guerra. 

Do Norte do México ao Sul da Argentina se estende uma guerra antiga

Fire 2 copy.png

VISÕES

Fabio Zimbres

Porto Alegre

Fire 4 copy.png

A INDIFEREÇA QUE NÃO SE APAGA 

Elisandra Galvão

Rio de Janeiro

ELIS IMAGEM.jpeg

Há vestígios da ditadura empresarial-militar em todo pedaço de terra deste país. Parte deles envolvem algo mais antigo, os hábitos...

 

Fire 1.png

MAMÃE SABIA DAS COISAS

Furio Lonza

Rio de Janeiro

Magical Mistery Tour é provavelmente

o disco dos Beatles com a produção mais esculhambada...

 

HASHTAG SORRIA NA PANDEMIA

Glauco Mattoso

São Paulo

ED 6 GLAUCO 2020-07-10 at 00.36.36.jpeg
Fire 3.png

MARROCOS E O EXEMPLO AFRICANO DE CONTROLE DA PANDEMIA

Celia Daniele Moreira de Souza

Bicas - Minas Gerais

 

 

Ed 6 Celia Marrocos2020-07-10 at 00.46.04.jpeg

Eu estive em Rabat em 2018 para estudar árabe e, desde então, tenho contato com pessoas que vivem lá, locais ou estrangeiras...

Fire 2.png

BALADA

Osvaldo Carvalho

Rio de Janeiro

Ed 6 OCarvalhob26.jpg

A série Balada surgiu no momento que

balas perdidas começaram a

atingir meu ateliê

 

Fire 3.png

 

LINHA TAVAREZ PARA

CENTRAL DO BRASIL - 2

Tavarez 

Rio de Janeiro

Fire 2 copy.png
Queimando4 M.png
Logo PP cinza.png

A Galerinha de Arte

 

Logo PP cinza.png

Quadrinhos e Cartuns

 

Logo PP cinza.png

 ESCUTAR A ESCRITA

Um modo de adentrar a existência de um ser que nunca existiu

No início da pandemia, um mamífero chamado pangolim, mistura de tatu com tamunduá, foi apontado como possível transmissor do covid 19, espalhando a morte pelo mundo. No primeiro capitulo do romance A Varanda do Frangipani, de Mia Couto, o pangolim é um ser que transita entre mundo dos vivos e do mortos.  É esse animalizinho que socorre um falecido carpinteiro enterrado em desacordo com as tradições, oferecendo uma solução para que sua alma sossegue e seu corpo possa ser enterrado conforme suas crenças. Hoje temos uma perversa coincidência junto com uma triste inversão: o pangolim levando milhares a uma morte sem luto, em série, sem cerimônia.  

 

Ana Paulas Bouzas

Atriz e diretora

website

Rio de Janeiro

Logo PP cinza.png

Primeiras Pessoas

Idrissa Deme

Doutorando em física e professor 

de língua árabe

Burkina Faso - Rio

Flávio Flu Santos

Músico

Disco / Blog

Praia da Gamboa -Santa Catarina

 

Logo PP cinza.png

Galeria de Arte

 

ONDE TEM SOLIDARIEDADE

 

Se você precisa de ajuda, encontre iniciativas perto de você.
Se você pode ajudar, encontre iniciativas para apoiar.

 

Acesse qual dessas iniciativas cabem no seu bolso, ou então compartilhe:

 

A #mãe do Brasil é #indígena, ainda que o país tenha orgulho de seu pai europeu que o trata como um filho bastardo. Sua raiz vem daqui, do povo ancestral que veste uma história, que escreve na pele sua cultura, suas preces e suas lutas. (Mirian Krexu)

 

Nós da revista Ignorância Times fazemos parte de uma rede de apoio e solidadriedade a Batani Huni Kuim.

Manter e circular as sabedorias vivas da tradição e seus saberes ancestrais.

Interessados em seus  sofisticados trabalhos mandar email para bettinecapulanas@gmail.com, que colocaremos vocês em contato.

 

Batani Huni Kuim

Artesã

Jordão - Acre