território livre  |  2020

 

ONDE ESTÃO O CABO E O SOLDADO

 

- General, vou fechar o Supremo! Convoque as tropas.

- Capitão, o senhor tem que ouvir mais os seus meninos, quando eles brincam de fechar o STF, usam só um cabo e um soldado.

- Então vamos chamar o cabo e o soldado.

- Não estão de prontidão.

- Não? O que eles estão fazendo?

- O soldado está fabricando cloroquina. O cabo está botando no rabo dos outros.

-Botando o quê?

-Ozônio. Estamos prontos pra colocar no rabo de todos os brasileiros.

- O ozônio, né?

- Sim. O exército tem prática, treinamento e efetivo suficiente pra isso.

- Mas eu ainda preciso fechar o Congresso, quer dizer o Supremo. Melhor fechar os dois, logo. Não tem outra dupla de prontidão?

- Tinha. Mas o soldado foi pra milícia.

- Serve.

- Não dá, está no gabinete do Carlos, Rio de Janeiro, lembra, STF é aqui do lado.

- E o cabo, tá em Brasília?

- Estava, saiu do exército porque estava planejando explodir um quartel.

- Meu garoto. Mas e o Supremo?

- Que que tem?

- Temos que fechar. E vamos eliminar a esquerda, vamos matar a petralhada do Acre, vamos fazer uma estátua pro Ustra, vamos deixar 200 mil morrer que eu não sou coveiro, vamos bombardear a Rocinha, vamos aplicar na rachadinha do Queiroz, vamos acabar com esses índio, vamos atirar no Jean Vilis, vamos escalpelar os quilombola...

- Já foi, capitão. Já foi. Tá dominado. E, vem cá, o STF te incomoda?

- Claro!

- Peraí, deixa eu filosofar um pouco.

- Tem que acabar com isso daí, filosofia.

- Mas é filosofia do Olavo, tem cu no meio. Então, o STF incomoda mas é tipo uma hemorroida: coça, arde, mas não é todo dia, não é grave. Não é verdade?

- Dá pra tratar com ozônio?

- O STF?

- Não. A hemorroida.

- Dá. O mal é o que sai da boca do homem, não o que entra pelo rabo.

- Tá bom então a gente faz assim: sabe aquelas nota de repúdio que o pessoal lança contra mim, que a gente dá risada e nem lê? Faz uma igual.

- Nota de repúdio ao STF?

- Não, repúdio a hemorroida. Esses caras do Supremo são um cu mesmo, como diz o Olavo, como diz a Damares. Eles vão entender lá nos anais deles, nos habreas os corpus, nas vara de família. Vão entender. A vida é mesmo como uma hemorroida: quando tem algum problema, melhor não mexer que dói mais. Vou falar essa pro Olavão. Rárárárárá.

 

Encerrada a reunião, da preocupação inicial de todos os presentes só sobrou uma, algo incômoda, coceira. Mas tem que acabar com isso daí.

 

Gil Rodrigues

Roteirista e jornalista

facebook

Rio de Janeiro

 

agosto 2020