território livre  |  2021

Ed 14 Texto Glauco 13.50.06.jpeg

 

DISSONNETTO CLASSISTA

 

 

Differe um escriptor dum excretor.
Um excretor se explica: só dejecta.
Um escriptor appenas se punheta
na penna, que virou computador.

Depende um escriptor do seu leitor.
Testado está que em terra analphabeta
aquelle que sonnetta é bom poeta,
aqui ou no exterior, seja onde for.

Subtil, porem, é outra differença,
que toca alguns mellindres e pudores:
Emquanto se fabricam escriptores,
alguns são escriptores de nascença.

Resalva-se a cegueira, cujas dores
augmentam quanto mais o cego pensa,
usando de poetica licença,
naquillo de que gozam seus leitores.

 

Glauco Mattoso

Poeta

instagram

São Paulo

 

foto

Prienterest

 

agosto 2021