território livre  |  2021

INFÂNCIA REFUGIADA 

RETRATOS DE UM CONFLITO

Ed 11 Karine foto CAPA_LIVRO site.jpg
Ed 11 Karine CAPA_LIVRO-ING.jpg

O livro fotográfico bilíngue intitulado “Infância Refugiada - Retratos de um Conflito”da fotógrafa cearense Karine Garcêz, que percorreu desde 2012 países do Oriente Médio como Faixa de Gaza, Palestina e Síria sob conflito e ocupação, Líbano e Turquia, despertou sua sensibilidade para dar um testemunho visual do que presenciou, dentro de uma missão da Organização Não-Governamental Holandesa Al Wafaa Campaign.

 

De volta ao Ceará e como fruto dessa experiência, a fotógrafa desenvolveu a Exposição “Infância Refugiada” no Museu da Imagem e do Som. Dessa iniciativa nasceu a ideia de produzir um livro fotográfico de fácil manuseio e compreensão didática, acessível e bilíngue (português/inglês), onde se possa levar esses registros e suas reflexões para todo o País. A proposta conceitual se consolida de  caráter documental, cujas imagens em preto e branco  variam de tamanho conforme expressão estética, divididas por blocos de países e apresentadas textualmente. Com muita sensibilidade no olhar, soube captar  em formas delicadas e belas expressivas imagens com cenas do cotidiano de meninos e meninas, suas expressões de espanto, ternura e de afetos,  cenas de descontração e lazer, mesmo em meio à dura realidade da guerra. Por fim, teremos essa vivência em texto juntamente com os desenhos feito por crianças palestinas, convidando o leitor a colorir encerrando o livro, que contará com texto de apresentação do Professor de Filosofia e ex Diretor do Museu da Imagem e do Som do Ceará, Dilmar Miranda e Prefácio do Professor Dr. Wajih Abderrahman da Universidade Al Isra de artes da Jordânia


Esta publicação compreende a força da imagem enquanto fonte de estímulo e memória histórica neste assunto delicado e perturbante, bem como na relevância de  propagá-lo. Inovador pela circunstância que o envolve e pelo desafio enfrentado pela fotógrafa no registro das imagens.  Cientes que lidamos com um assunto presente, transversal, multidisciplinar, cujo paralelo nos remete de pronto aos cearenses, nordestinos que fogem da seca e migram e se refugiam nos “campos favelas” urbanos.

 

Coragem e ousadia estão presentes na vida desta cearense de 45 anos, do pequeno distrito de Antonio Diogo, de pouco mais de 9 mil habitantes, que decidiu vencer obstáculos de ser uma mulher, e partir para conhecer a realidade das crianças e jovens refugiados do Oriente Médio. Estas vivências possibilitaram a Karine assimilar como a vida dos jovens brasileiros está próxima às dos refugiados.


Desse modo, abordar o tema do refúgio é trazer o diálogo da diversidade e tolerância inter-religiosa e dos direitos de crianças e adolescentes para nível nacional nos imputa um importante desafio: instigar através desse produto cultural como a diversidade dos problemas globais são também locais , sobre o que nos une e nos difere, sobre os direitos conquistados e negados. Quando pensamos em propor um diálogo entre o que nos é familiar e o que nos é estranho, ocasionam um esforço de trazer antigas questões para outros caminhos, olhares e valores.  Aproximar o leitor  ao universo do outro que se vê é lembrar o questionamento do escritor Gonçalo M. Tavares: “o que vês quando olhas para onde todos olham?”

 

Esperamos proporcionar  reflexão sobre direitos humanos e infância, refúgio, tolerância religiosa e migrações forçadas. Acreditamos que por meio da fotografia é possível perceber a negação dos direitos e a proximidade com a nossa realidade. Cientes da temática inovadora, pioneira localmente, esperamos agregar valor ao campo da fotografia Brasileira.

O livro foi lançado oficialmente em 19 de agosto, Dia internacional Humanitário, na Bienal Internacional do Livro do Ceará, pela 2K Editora, uma produção independente que contou com apoio do Governo do Estado do Ceará por meio do Edital das artes da Secretaria de Cultura Estadual.

Ed 11- Karine - foto Livros  Fotografia infancia refugiada39.jpg
Ed 11 foto Karine - Livros  Fotografia infancia refugiada51.jpg

Memorial Descritivo sobre o tipo de Conceito:  

 

Luz e cor obedecem à lógica muito diversa. A luz se manifesta nas imagens por meio de uma escala linear que contrapõe valores diversos: claridade e escuridão. Assim, a luz é regida por uma dialética dos opostos. Ressaltam os conflitos, as contradições.


O emprego do claro-escuro aparentemente aumenta a nossa capacidade de expressar as paixões humanas, as fotos em preto e branco destacam a oposição entre dois termos luz e treva, baseando-se numa contraposição de valores antagônicos.  As fotos em preto e branco são mais propícias à expressão de juízos éticos sobre a realidade, pois o claro e o escuro estão tradicionalmente associados a conceitos polares: vida e morte, bem e mal, verdade e falsidade, encontramos o dualismo de  forças antagônicas na mitologia e filosofia de muitas culturas. Esse é o conceito que nos levou a escolha do formato em preto e branco.  Já pelo sensibilidade no olhar, Karine soube captar, em formas delicadas e belas, expressivas imagens do cotidiano de meninos e meninas - expressões de espanto, ternura e de afetos, gestos e sorrisos.

 

Por fim, a proposta conceitual se consolida de  caráter documental.

Preço: 70,00 + frete

 

Link para compra http://www.retratosdeumconflito.com.br/

Karine Garcez

Fotógrafa e internacionalista

instagram

 

Caucaia - Ceará

 

fevereiro 2021